Energias Terapia Holística

A cura através das palavras

amor
Escrito por Ysa Nuit

Me perdoe, sinto muito, sou grato e eu te amo.” Quem diria que ao pronunciar essas quatro palavras repetidamente poderíamos curar bloqueios emocionais e memórias negativas de nossas vidas? Por ser um método simples, muitas vezes a técnica denominada HO’OPONOPONO não é levada a sério. Não necessita a intervenção de um profissional, não oferece qualquer risco e o valor de seu investimento é zero. Na postagem de hoje vamos entender como nasceu essa técnica e como ela pode (e vai) te ajudar.

Acertar o Passo

Uma tradução possível para o termo Ho’oponopono é essa: acertar o passo. Outra alternativa é “corrigir o erro”. O erro aqui deve ser entendido como pensamentos que causam dor e sofrimento, por conta de situações vividas no passado – assim explicam os antigos havaianos¹. Ah, não posso deixar de dizer, foi lá, no Havaí, onde tudo começou.

Ho’oponopono é uma antiga prática havaiana de reconciliação e perdão² e existem diversas teorias nativas que validam seu uso, mas foram as grandes transformações sociais promovidas pelo terapeuta dr. Ihaleakala Hew Len que a tornou internacionalmente conhecida.

IHALEAKALA HEW LEN

Dr. Ihaleakala Hew Len – Aloha!

O dr. Hew Len trabalhou durante quatro anos na ala de criminosos com distúrbios mentais do Hospital Estatal Havaíano, num período em que vários psicólogos e demais profissionais não suportavam as condições dessa ala e se demitiam em menos de um mês de trabalho. Esse pavilhão era tão temido que os funcionários passavam por ali encostados nas paredes, com medo de serem atacados pelos pacientes, extremamente agressivos e imprevisíveis.

A situação era realmente crítica, mas o dr. Hew Len resolveu assinar um contrato com o Hospital estabelecendo a seguinte condição: ter uma sala onde pudesse acompanhar os prontuários de cada paciente. Assim começou seu trabalho, ele lia as fichas, uma por uma, e ia procurando, em si mesmo, o que causara aquela enfermidade ou aquele tipo de comportamento em cada um dos internos. Parece surreal isso que escrevi, mas foi exatamente o que ele fez, trabalhou diretamente sobre si para curar os pacientes. Detalhe importante: ele jamais viu nenhum deles, apenas lia seus resultados médicos.

Em entrevista ao escritor Joe Vitale³, dr. Ihaleakala Hew Len disse o que fazia quando olhava os prontuários dos perigosos internos:

-Eu, simplesmente, permanecia dizendo ‘Eu sinto muito’ e ‘Te amo’, uma vez após outra.

-Só isso? – perguntou-lhe o escritor.

-Só isso! Acontece que amar a si mesmo é a melhor forma de melhorar a si mesmo e, à medida que você melhora a si mesmo, melhora o seu mundo.

Os resultados começaram a aparecer…

Depois de poucos meses, os pacientes que estavam acorrentados receberam a permissão para caminharem livremente. Outros, que tinham que ficar fortemente medicados, começaram a ter suas medicações reduzidas. E aqueles, que não tinham jamais qualquer possibilidade de serem liberados, receberam alta.

E continuaram surpreendendo:

Não foi somente isso, até o pessoal começou a gostar de ir trabalhar. O absenteísmo e as mudanças de pessoal desapareceram. Terminamos com mais funcionários do que necessitávamos porque os pacientes eram liberados e todo o pessoal vinha trabalhar. Hoje, aquele pavilhão do hospital está fechado.

Essa atitude do terapeuta havaiano está embasada na teoria de que temos que assumir 100% de Responsabilidade por tudo que acontece conosco e com os outros. Ele explica mais abaixo, em outra entrevista, esta concedida à Cat Saunders¹:

100% de consciência de que foi você quem causou o problema. 100% de consciência de que é sua a responsabilidade em corrigir o erro. Imagine o dia em que todos nós formos 100% responsáveis!

Como vou convencer as pessoas de que nós somos 100% responsáveis pelos problemas? Se você quer resolver uma situação problemática, trabalhe-a em si próprio. Se a questão está ligada a outra pessoa, pergunte a si mesmo: “O que há de errado comigo que está levando esta pessoa a me incomodar?” Aliás, pessoas só aparecem na sua vida para lhe incomodar! Quando você sabe disso, pode superar qualquer situação e se libertar. É simples: “Sinto muito por tudo que está acontecendo. Por favor, perdoe-me.”

A técnica Ho’oponopono parece milagrosa, mas a verdade é que quando temos a compreensão de que somos energia e estamos todos interligados, percebemos que ela faz muito sentido. Ao repetir as palavras mágicas, que foram sendo atualizadas com o passar dos anos, curamos emoções cujas origens muitas vezes desconhecemos.

pensamento

Como praticar o Ho’oponopono

Pronunciamos ME PERDOE, SINTO MUITO, SOU GRATO/A e EU TE AMO, e investigamos o que ocorre dentro de nós, qual dessas parece ser a expressão que precisa ser mais enfatizada, mais repetida? Seguimos a intuição, continuamos a repetir. Sem pressa, sem medo, sentindo cada sílaba.

Pode ser que você chore ou que não sinta absolutamente nada, mas sem dúvidas é uma proposta tão simples que não custa nada tentar.

Uma sugestão é fazer variações com a técnica, sem ficar preso a uma fórmula ou sequência. Acrescente palavras, reformule para ficar com o seu jeito. Caso queira um empurrãozinho para começar, veja essas duas sugestões (já testei ambas e recomendo demais!). A primeira, e mais rápida, é ouvir essa música:

E a segunda é fazer essa meditação (reduza o volume antes de dar o play, pois a vinheta de abertura é alta):

Desde que entrei em contato com essa maravilhosa técnica, procuro usar no meu dia-a-dia e vejo que funciona de verdade. Emoções desequilibradas latentes são rapidamente transmutadas, parece mágica… Mas não é nada de outro mundo, é apenas a vida mostrando sua simplicidade e como somos nós os criadores de nossa realidade. Podemos escolher o que sentir, podemos escolher como agir, aí reside um grande passo para quem inicia seu processo de autoconhecimento.

foto_ho_oponopono

O escritor Joe Vitale, citado acima, compartilhou sua primeira experiência³ com a técnica e viu, em apenas uma hora, o resultado acontecendo. Certo dia ele recebeu um e-mail agressivo de uma pessoa e ficou transtornado, com o impulso de responder no mesmo tom. Porém, lembrando das palavras do dr. Hew Len, resolveu aplicar o que aprendera. Mentalmente repetiu “Sinto muito” e “Eu te amo”, até que a raiva passou e, em pouco tempo, recebeu um novo e-mail da mesma pessoa, dessa vez pedindo desculpas pela mensagem anterior. Perceba que ele não fez nada externo, nem sequer respondera ao e-mail. Sua atitude foi assumir os 100% de responsabilidade que lhe coube no contexto – dessa forma, curou em si o desequilíbrio que causara na pessoa.

Acredito que só por ter conseguido fazer a raiva passar, já valeu a pena, mas a realidade de nossa conexão energética é tão evidente que o efeito das palavras mágicas foi além, pois a pessoa recebeu a carga de amor e perdão emanada por ele, e isso bastou para ela repensar sua atitude. Nem todos mandariam um e-mail se desculpando, muitos ainda estamos presos nas armadilhas do orgulho. O importante é que o resultado acontece independente de acreditarmos nele. O fato de termos fé, entretanto, potencializa a resposta, já que temos motivação e constância, ao contrário de uma postura de desconfiança e comodismo que possamos assumir quando duvidamos de nosso potencial criador.

O dia pode começar anunciando que será desafiador. Você pode acordar triste por qualquer motivo que seja, ou encontrar uma razão para se aborrecer ao longo das horas, mas não tem que permanecer nesse estado de tristeza ou raiva. Acredite, você tem um poder incrível. Ouse descobrir, sua vida será inteiramente transformada – e o mundo também será, afinal, quando nos curamos, ajudamos a curar tudo à nossa volta.

Termino essa postagem com a palavrinha que mais tenho repetido em minha vida:

GRATIDÃO! 


 

Se você gostou desse artigo e acredita que ele pode ser útil a alguém, compartilhe! Vamos assumir nossos 100% de responsabilidade e criar uma corrente de amor e harmonia. Eu acredito!

luz42

Referências:

1 Entrevista por Cat Saunders

2 Wikipedia

3 Eu sem Fronteiras

Sobre a autora

Ysa Nuit

Terapeuta Holística, Reikiana, Taróloga, Palestrante, formanda em Psicoterapia Reencarnacionista, atua com as técnicas: Fitoenergética®, Radiestesia, Meditação, ThetaHealing®, Estruturação Quântica da Consciência (EQC), Cromoterapia, entre outras.

2 Comentários

  • “Mas não é nada de outro mundo, é apenas a vida mostrando sua simplicidade e como somos nós os criadores de nossa realidade. Podemos escolher o que sentir, podemos escolher como agir, aí reside um grande passo para quem inicia seu processo de autoconhecimento.” Linda percepção de onde estamos e de que somos os criadores de nossa realidade, podemos criar algo insuportável ou algo extremamente prazeroso, parabéns!!!

    • Sim, é tão libertador pensar que somos nós os comandantes de nossos barcos, não? Podemos construir uma realidade realmente bonita e cheia de sentido! Gratidão por seu comentário, gratidão por seu tempo e gratidão por sempre me incentivar, Emmanuel. <3

Deixe um comentário